15 de abr de 2010

Numa das minhas conversas pelo mundo, eu respondi assim:

Poema flui de tudo aquilo que você tem contato: música, convívio, gosto, amigos, fatos... Momentos. Poema é isso. É momento. Não adianta forçar, não adianta montar a sua idéia, eu já tentei, não dá! Ou enjoa... Ou você desiste de escrever.

Eu confesso que queria escrever coisas malucas tipo Raulzito, coisas macabras e sábias, mas se eu fizer isso estarei montando uma idéia, não compondo um poema, entende? É por isso que eu respeito os poetas "melados do amor", é o "EU" deles, apesar de achar tudo uma besteira... Eu respeito.

O segredo disso é a inspiração, porém é extremamente difícil encontrá-la, mas depois que você encontra, percebe consecutivamente quando ela chega. A inspiração é, sei lá... Não sei se devo, mas vou dizer; é parecido com o espírito santo que desce nos fiéis, e faz com que eles digam coisas que sentem ali na hora. É momento.

Talvez eu queira que você se torne uma coisa que não quer ser, e como eu escrevo poemas, fico lhe forçando a isso. Então fico chato nesse sentido. Contudo poema é isso: escrever tudo que sente depois ir cortando e acertando até que tudo se encaixe.

Olha os meus, a maioria são curtos, na verdade eram enormes! Isto não é censura é adaptação. Os dos grandes poetas são curtos também, poemas longos significam um forte contato com a inspiração, poeta já de nível avançado.

Quando eu comecei a escrever achava esse lance de inspiração uma idiotice, eu montava a minha idéia e nunca ficava legal, até que tive contanto pela primeira vez com a inspiração, e confesso que me assustei! Se você tiver apenas um contanto com ela, vai entender impecavelmente o que eu digo.

Poema não é montagem, é inspiração! É momento. O simples é mais bonito. Não tenha medo de escrever o que pensa, escreva o que sente mesmo que pareça um "idiota", isso é poema. É momento.

Pra compor poema você tem que transar com a inspiração. Não raciocine em cima das palavras apenas anote.

Edison Gil

Nenhum comentário: